segunda-feira, 10 de março de 2008

The Secret

Durante dois anos e dois meses fiquei assim… à deriva, adormecido, cercado por tubarões.
De repente, acordei.
Deve ter sido o roçar de uma barbatana num antebraço, um splash de impaciência de quem me queria devorar, ou até mesmo gritos vindos da praia.
Farto do sol, dos esqualos e da deriva, eis que pego nos remos e ritmadamente, me lanço decidido, em direcção a terra firme.

Viram, ou leram, "The Secret"?
Eu vi o filme. Reservei o meu sofá durante uma hora. Eu, os gatos e os aperitivos japoneses ficámos para ali, em frente ao ecrã.
E o que vi?
Apenas a minha filosofia de vida, em linguagem televendas.
Estava lá tudo: a forma inequívoca de como eu atingia qualquer objectivo a que me propusesse alcançar. A falta de dúvidas em consegui-lo, a naturalidade insolente, arrogante, com que chego, onde, e a quem quero. Quando quero.
Bom, tendo percebido isso, cedo os gatos foram brincar aos foguetes siameses ao longo do corredor. Fiquei ainda ali, esperando encontrar naquele ecrã a resposta para a dúvida que se ia instalando no decorrer do filme: Se eu sou assim, porquê, além de não ser rico, me encontrava mais pobre?
E eis que ela apareceu, a tal da resposta: Falta de Objectivos.

Durante dois anos e dois meses, não tive objectivos concretos, não ambicionei nada... a não ser sobreviver.
Talvez por dois motivos. Um, porque as anteriores vitórias, me abalaram mais que qualquer derrota, o que levou ao Dois: ter de me vencer a mim mesmo.
Foi um processo que me drenou, o ter-me vencido.

"When the gods want to punish you, they answer all your prayers"…

Não rezo para que as coisas aconteçam, mas faço por isso. Aconteceram-me coisas, porque eu quis que acontecessem, que iam dando cabo de mim. Encomendei-as, e apareceram naturalmente envoltas no melhor dos embrulhos.
Estive no céu. Mas quem lá chega sabe que a única porta que existe, além da do mesmo, é a do inferno…que foi por onde entrei em seguida.

Talvez, traumatizado por ter atingido objectivos que me queimaram as penas de cera, isso me inibisse de cobiçar algo mais além... durante os dois anos e dois meses seguintes...

Este verão estive numa ilha, durante uma semana.
Ao fim de todas as tardes ia correr quase toda uma extensão de praia interminável. Chegava lá ao fundo, onde não havia gente...terra de gaivotas. Desligava os Nirvana, despia-me e mergulhava na água cálida. Quem leu Freud sabe o que significavam, esses mergulhos em líquido salgado, e o secar-me com o calor de fim de tarde, a seguir.

Nessa semana construí o meu sonho. Aquilo que eu quero, para mim, e para muitos. Para este país.
Não. Não é para ficar rico.
É para ficar multimilionário, muito naturalmente.

Antes desse tenho outros, mais próximos, a concretizar.

Voltei a ser saudávelmente ambicioso.

20 comentários:

Afrika disse...

Eu... só quero ser feliz!

Rocket disse...

afrika

Eu... também quero...que tu sejas feliz!

Xunana disse...

Segredo ou não segredo, ainda bem que te encontraste!

Rocket disse...

Foi sem segredo, xunaninha...

Maria Manuela (M&M) disse...

"When the gods want to punish you, they answer all your prayers"…

fiquei a pensar....

bjo

Rocket disse...

M&M

Oscar Wilde, em "Um marido Ideal".
Banalizou-se, é uma expressão vulgar na cultura anglófona...

Bjo

Em Bicos de Pés disse...

Percebi-te. Acho. Estou na dúvida sobre a brincadeira dos teus gatos. Foguetes siameses?

Anónimo disse...

Ana disse....
A vida (essa energia que sai do corpo quando morres, isto fazendo alusao ao post do copo vazio)reserva coisas muito engraçadas....entao foi na ilha?O sol, o mar, as gaivotas e os Nirvana e bem là ao fundo o farol....Consciência!Tudo questao de consciência e isso nao é segredo!
Beijinhos

Kikas disse...

E porque é que "when we want gods to reward us THEY ACT LIKE NERDS????"

Fica aqui a dúvida existêncialista ;-))

Rocket disse...

em bicos de pés

Perceber-me é obra. Parabéns.
Os meus gatos são siameses e tenho um corredor imenso (casa antiga), de vez em quando fazem corridas...zuuum! Parecem balas!

bj

Rocket disse...

Kikas

Não tem muito que saber. Desfaço-te a dúvida em três segundos... Bill Gates, por exemplo( o Deus dos Nerds). Quem utiliza um Macintosh manda-se a rir para o chão quando pega num Pc com aqueles Windows da idade do bronze...
Outro exemplo: Petróleo. Não dá para acreditar que ainda existe, nas nossas vidas...
E são estas coisas que regem o mundo...

capisce?


bj

Rocket disse...

Ana

Não falei num farol, mas ele existia. Corria até ele ficar do tamanho dum pontinho no horizonte... e depois para ele voltava ...
A falta de consciência é sempre temporária, felizmente. Contudo pode ter efeitos desastrosos e retroactivos...

bjs

Mlee disse...

Nunca li o livro e vi o filme muito antes de ele se tornar popular.
Achei-o interessante, mas aqui entre nós, devo precisar de crescer qualquer coisita para aprender a lição da arrogância(deduzo que te refiras a ela como uma dose imbatível de auto confiança ...), até lá, qualquer tentativa de aplicar tal filosofia de vida, está minada à partida ... Beijo, vou ali até aos ovnis e já volto :)

Rocket disse...

mlee

Presumiste bem, e não cresças mais, por favor...
Sou verdadeiramente e genuínamente humilde, mas quando quero algo, dúvida não pretence à equação...


Bjos

Mlee disse...

A propósito deste filme, da fisica quântica, da natureza circular do tempo e das coisas que por aqui se falam, se não viste, talvez valha a pena dares uma espreitadela ao filme "what the bleep do we know" .. se não o encontrares, diz-me que tento arranjar uma cópia, mas entretanto, vai a partir daqui:
http://www.whatthebleep.com/
Beijo

Carla disse...

não li e não vi o filme, pareceu-me que seria venda de banha da cobra...prefiro mil vezes o segredo que se consegue ouvir numa praia isolada em qualquer local deste planeta...dá-me mais força para concretizar um ou outro sonho
bjs

Rocket disse...

mlee

Obrigado, Não sei porque carga de água é que não consigo ver o trailer...aparece o símbolo do quicktime e zilt...tentarei mais tarde. Fiquei naturalmente muito curioso...

Rocket disse...

carla

Não é simples banha da cobra, é o aproveitar duma mão-cheia de verdades universais e ordená-la sob a forma de pack de filosofia de vida... que muita gente segue há muito, com naturalidade.

bjs

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá Rocket, li com muita atenção o teu texto e descobri que não estou só... Alguém muito parecido comigo existe, neste País á beira-mar plantado.
Beijinho de carinho.
Fernandinha

Rocket disse...

olá fernandinha

Pois é. Plantaram para aqui isto e ninguém o rega...que país raquítico...

beijinho com carinho tb