sexta-feira, 29 de agosto de 2008

hipnose

Cada geração tem o seu tipo de música de dança, que é quase como um diagnóstico da sua saúde económica, social e mesmo da mentalidade colectiva. No século XX, o cancan traduzia o desejo de uma geração (amargurada por uma crise profunda) de festa libertadora, de excesso, de movimento.
Como tristezas não pagam dívidas, a malta quer mesmo é divertir-se. Em simultâneo, o cancan proporcionava a expressão ideal a um tipo de mulher que começava a sua primeira fase de libertação sexual. Quando nos lembramos dos Loucos Anos Vinte a imagem que ocorre é da garçonne. Porque, dos gajos, como eram ou se vestiam, ninguém se lembra e confundem-se com os abrilhantinados de uma outra década qualquer.
O rock n'roll do fim da guerra era a ilustração da euforia duma sociedade liberta do terror da mesma e com a memória recente do vou prá guerra ...um verdadeiro detonador sexual que mudou mais um pouquinho as mentalidades e os hábitos.
Foi por essa altura que foi também inventado o absurdo conceito de juventude...

Pois a tal da juventude dos nossos dias... assume-se. Aproveitou a deixa e faz juz ao figurino que lhe concederam: imagem de irresponsabilidade, de dolce fare niente, de inconsequência, de pequeno crime social... e aproveita cada minuto daqueles anitos do prazo que a sociedade lhe oferece até começar a pagar impostos e ser sugada por ela. Eu fiz o mesmo.
O trance nasceu num país com uma profunda dúvida de identidade: a Alemanha reunificada dos anos noventa.
Não pretendendo ser exaustivo na descrição, apenas acrescento o seguinte: por essa altura, em Goa (que por si merece um post, esta terra que foi A jóia cultural do nosso império) já existia uma comunidade de gente nova vinda da Europa atraída pelo misticismo oriental que se adequava mais à fome espiritual que a catequese. Dentro deste rico caldeirão nasceu o Goa trance e aquela terra belíssima passou a ser rota de libertação. E é isso que o trance é: libertação. Libertação hipnótica de uma realidade confusa, incaracterística, sem manual de instruções, depressora e de um futuro cujos relâmpagos que se adivinham no meio da névoa... A palavra inglesa trance significa transe, um estado hipnótico. Aqui, explica-se, com simplicidade, como se induz.
Em Ibiza existe a maior discoteca do mundo, a privilege. É um hangar para zeppelins com capacidade para onze mil pessoas. No outro dia perguntaram-me como seria, se lá deflagrasse um incêndio. Respondi que não existiam chamas suficientemente altas para chegar aquele tecto. À volta do hangar existem várias outras salas de discotecas satélites...gigantes.
Existem voos charter vindos de Londres com aviões cheios de putos que chegam ao fim da tarde e levantam a a meio da tarde do dia a seguir, e não é caro, porque em Ibiza as entradas nas discotecas pagam-se escandalosamente, porque lá dentro o que a malta bebe não é nem gin nem whisky...

Leva-se uma garrafinha de água que se vai enchendo na casa de banho. A pastilha é o que pede, para aguentar a pedalada e a transpiração contínua.

Isto é o que ouço, muitas vezes, quando me perco pelas noites. É só para quem aprecia uma selecção do melhor.

53 comentários:

DESIRE disse...

Novas gerações, novos hábitos reciclados de outros antigos.
Bom fim-de-semana!
Diverte-te e descansa!
Bjs prometidos

DALAPA disse...

Como sempre as escolhas musicais são excelentes.....
Esse género acompanha-me sempre quando derreto no gym.... só da vontade de acelerar....

xi

pinguim disse...

Nunca fui muito de discotecas ou de música dançável...
Sempre preferi os locais que permitam trocas de ideias ao som de música ambiente suficientemente boa, para por vezes nos secar as palavras e nos alargar o bem estar.
Mas cada um é como é...
Abração.

Patti disse...

Tenho um grupo de amigos, que todos os anos marcam os últimos dias de férias para princípios de Outubro em Ibiza, para o "Closing Fiesta" no Space. E de adolescentes não têm nada.
Dizem que é impressionante e pelo o que vejo nas fotos e nos filmes que trazem, acredito.

Rocket disse...

desire

é. a história repete-se...

beijos e bom fds

Rocket disse...

dalapa

eu cá gosto mesmo daquilo...

abração

Rocket disse...

pinguim

gosto de música de dança...

abração

Rocket disse...

patti

estou com umas saudades...

D.Antónia Ferreirinha disse...

Rocket, também há a terioria do tranceísmo, não é?
Já há bastante tempo li algures sobre isso, mas por não lhe ter dado a devida atenção não sei o que é. Mas se trance é som/dança, Deus deve estar relacionado com isso , não?
Não sei...
Dentro do estilo de música electrónica, que confesso não ser grande adepta, tem uma batida que não vou dizer que amo, mas não desgosto. Porém, confesso-te que nem com pastilha ia aguentar esse ritmo uma noite inteira. Quanto á pastilha, dispenso. Obrigada.
Beijinhos, bués.

vita disse...

Olha eu é mesmo anos oitenta, grandes bebedeiras(!?), grandes noitadas, grandes fodas, grandes músicas,muitas saudades.

Mas acho que existe épocas para tudo, hoje em dia é mesmo sofá, com boa companhia e já sou feliz.;)

(Sim, as tuas músicas, são o teu "estilo")

Beijooo doce meu

Rocket disse...

d.antónia ferreirinha

olha que não sei, mas deve ter a ver com goa...
eu por acaso gosto de tudo o que é bem feito e naturalmente exiete música electrónoica excelente, como podes ouvir no link do privilege.

a malta é que não sabe porque muitos bons djs não abundam. quando vem cá algum vê-se a diferença, contudo existem muito bons, cá.

bjos bués

Rocket disse...

vita

ainda continuas nos oitenta?

foram bons, mas tu eu e a canuquinha temos que ir os 3 a ibiza...

são, não são? mas new order também...

beijo, dulce vita

Safira disse...

Música que não consiga cantar, só a clássica mesmo.
Tenho pouca experiência deste género, mas lembro-me de amuar até às duas da manhã que era quando começava a música de jeito (rocks, pops, coisas com letra...)
Não detesto, mas aos poucos de cada vez...Muito tempo de 'untz untz' e começo a trepar pelas paredes. Não no sentido pretendido, entenda-se...;)

Beijocas

Mlee disse...

Mano,
Nunca fui a Ibiza, mas perder-me numa pista de dança é cá comigo mesmo ... verdadeira transformação de personalidade ... é outra gaja!
Já me imaginei num cenário desses e enfim... Quem me conhece há muito tempo sabe que entro numa discoteca e danço de olhos fechados a noite toda (não sou grande parceira de dança).
É transe mesmo!
Lembro-me que na 1ª sessão do Rock in Rio em Lisboa, o local onde me senti mais em casa, foi na tenda electrónica com uma data de gente que dançava como eu... feliiiizzzzzzz:)
Beijos.

D.Antónia Ferreirinha disse...

Rocket, acho que li qq coisa sobre isso.
Quanto ao som, amiguinho,eu ouvi.Quando for a Ibiza lá estarei batida, nem que saia a meio da noite, ahahah. Mas continuo a gostar e a não amar.
Beijinhos, bués.

Mlee disse...

Aaahhh ... os auxiliares ao transe, passo e dispenso, porque, sinceramente... não preciso!

Rocket disse...

sapphire

isto é o que se houve na nave, lancei este post só para escolher a tripulação : )


bjinhauuu

Rocket disse...

mlee

temos que ir juntos : )

eu tb sou assim: eu e a música...

e não é necessária ajuda...

bjo mana

Rocket disse...

d.antónia ferreirinha

tu! tu vais às minhas cavalitas...

bué da beijos

Safira disse...

por isso mesmo é que eu disse que ia no porão!oh suave ruido dos motores nucleares...

Beijos

Rocket disse...

sapphire

na minha nave não existem motores...
é propopulsão antimagnética de apropriação de vectores gravitacionais básicos, tipo wermhole e afins... tens a certeza?

eu vou pensar no teu caso, entretnto vai a ibiza...

bjinhauuu

Safira disse...

bom, suponho que a companhia vale o esforço supremo de uma viagem intergaláctica a abanar o capacete com os untz untz do demo.

Já Ibiza...hum, muita gente...not my scene, Rocketman.

Bjs

Rocket disse...

sapphire

hum...hum...bom, vou ao ginásio...penso no caminho...

bjinhau

D.Antónia Ferreirinha disse...

Com essa das cavalitas, mataste-me, ahahah.
Não me digas que entrar na Privilege exige um minímo de altura que por acaso é acima do meu? Ahahah. é que se for para levar uns saltos de 12 cm fico em casa no sofá, que eu não me aguento em cima dessa treta, rsrsrsrs.
Olha lá com um jeitinho estamos a combinar uma ida em grupo, num qualquer voo charter, a ibiza. Não será mais fácil entrarmos todos á mesma hora no link que tu deixaste?
Se é para entrarmos em transe, tanto faz, ahahah, e fica mais barato. E depois, eu metida naquela porra gigante, ia ficar deprimida ao verificar a minha pequenez, rsrsrs.
Beijos, bués.

LeniB disse...

Ouvi em tempos alguém dizer que em Ibiza é a p* da loucura. Pelo que escreves, confirmas essa teoria.
Prefiro outros ares!! Prefiro outro tipo de espaços!! E como gostos não se discutem...
bj

Violeta disse...

deixa-me dizer que gostei muito do teu post."Cada geração tem o seu tipo de música de dança, que é quase como um diagnóstico da sua saúde económica, social e mesmo da mentalidade colectiva",
é qúe é mesmo.
Bom fim de semana

apenas um gajo... disse...

Nem digo mais nada, é ouvir, e entrar no som, o resto? logo se vê quando a noite começa a clarear.

Um bem-haja

Pearl disse...

Gostas de "pastilhar"!! que não significa necessariamente tomar pastilhas mas gostar de dançar este tipo de musica (musica da pastilha como se diz por aqui)!
Gostei de ouvir eu sou mais R&B mas tambem gosto de ouvir este som!!aliás gosto de tudo um pouco!e adoro dançar isso mais que tudo!

beijinho dentro do ouvido (nada te soará melhor)

Tá-se bem! disse...

Só te digo que essa cena da transe dava-me um jeitaço para tratar dos bichanos que não param quietos.. eu é que ando em transe!

É dança acima, dança abaixo! ehehehehe nem preciso de ir à Disco ;))

Abração :)

Sorrisos em Alta disse...

Deve ser da idade, mas já não me lembro do que fiz nos Loucos Anos 20...
;o)

E, não deves saber, mas o teu amigo dj-brinca-na-areia, iniciou-se no djiing com música punk e... trance!
Goa Trance!

Grande abraço
Num post que me deixou com uma urticaria nos dedos....
;o)

Rocket disse...

d.antónia ferreirinha

eu disse cavalitas porque por aqui não soaria bem se afirmasse que te pegava ao colo...

o que me ri dessa da pequenês na porra gigante...

beijos bué

Rocket disse...

lenib

é mesmo a puta da loucura... a última vez que lá fui os espectáculos de sexo ao vivo eram frequentes nas discotecas...

bjos

Rocket disse...

violeta

não fiques impressionada. é uma banalidade básica de estudo sociológico. mais interessante é verificar a relação entre o tipo de música que se encontra nos tops e a situação económica...

bjos

Rocket disse...

apenas um gajo

também gostas de dançar. é uma benção...

abraço

Rocket disse...

pearl

gosto de pastilhar, pois: trident de canela.

beijo no vértice do queixo

Rocket disse...

tá-se bem!

ah ah ah

mas diz que não estás a adorar...

abração

Rocket disse...

sorrisos

adorava conhecer a tua selecção... também ando com umas saudades...

abração

Safira disse...

E então? Já pensaste ou tenho de arranjar outra nave?

Rocket disse...

sapphire

ok. tu vais de auscultadores espetados nos ouvidos para ninguém te ouvir lamúrias... : )

bjinhauuus

Sorrisos em Alta disse...

A minha selecção!???
Eu não sou um País, pá!
;o)

Abraço

Maldonado disse...

Por acaso é um género musical que sempre apreciei... ;)
O trance desperta sensações inefáveis... é outro mundo...

Rocket disse...

sorrisos

como adivinhei que seria essa a tua resposta?
tu sabes o que quero dizer...grande dj

abração

Rocket disse...

maldonado

é de facto outro mundo...aquele em que entramos a dançar. é uma maravilha...

D.Antónia Ferreirinha disse...

Riste-te da minha pequenez? E eu ri-me da tua pdl, ahahah.
BEIJOS BEIJOS

D.Antónia Ferreirinha disse...

Agora percebo porque gostas tanto da Privilege. é por causa dos espectáculos de sexo ao vivo, ai é é, rsrsrsrs.
Como tenho uma mente pouco sã e muito púdica, caí fora.
Adeus viagem a Ibiza, quer em charter, quer na nave, onde for.
Olha agora, sexo ao vivo?
Fdx, isto está bonito, está está. Não tarda estamos no fim do mundo sem cuecas, ahahahah.
Beijos , bués.

Rocket disse...

d.antónia ferreirinha

eu não me rio...ela atrai-me : )

tu usas cuecas? : (

bué da chuacs

D.Antónia Ferreirinha disse...

ahahah.
Eu já estou farta de me rir.
se uso cuecas?
Eu não. Ou ando sem nada, ou por norma opto por tanga /fio dental, rsrsrs.
Mas não gosto , nada, daquelas fio dental, mesmo só fio. pirosas e feias, para além de pouco elegantes, ahahah. Prefiro aquelas que fazem um triangulo no rabinho, rsrsrsrs.
Nem mais uma pergunta indiscreta, ouviu. Ai ai.
rsrsrsrsrsrs.
Beijos.

Rocket disse...

d.antónia ferreirinha

não era para responderes.. : (



: )

ah ah ah

beijos bués

blueminerva disse...

Não sou apreciadora de discotecas... apareço de tempos a tempos. Raramente danço. Sou, acredites ou não, bastante tímida. Mas adoro música e há muitas que têm o poder de me deixar em transe.

beijocas

Rocket disse...

blue

eu sei que és tímida e tudo o que afirmas não é novidade para mim. eu aprecio-te.

beijos, sereia

Sorrisos em Alta disse...

FODA-SE!
Estou a ficar previsível!
A ver se paro IMEDIATAMENTE com as férias e volto ao trabalho, para não ser ofendido....
;o))))

Modéstia à parte, acho que ias gostar na altura. O gajo era bom!

Grande abraço

vermelho disse...

Eu acrescentaria, caro Rocket, que o Trance Psicadélico vai buscar o seu poder hipnótico muito fundo na nossa consciência. Daí o seu poder e a sua clarividência enquanto plataforma mental. Antes da visão tínhamos já muito apurada a audição, ou seja, na lenta evolução das espécies, primeiro ouvimos e só depois vimos. O pulsar característico do Trance é exactamente aquele que ouvimos durante 9 meses na barriga das nossas mães (quem já assistiu a um C.T.G. de uma grávida sabe do que estou a falar), de forma que somos remetidos literalmente para o útero, para a essência da existência e, tal como recém-nascidos, podemos redescobrir tudo com outro nível de consciência.
Para ouvir o melhor desta música devemos ir a eventos alternativos, como o Boom Festival (decorre na semana anterior à lua cheia de Agosto na zona de Idanha-a-Nova e com a energia da natureza como palco), porque me parece que em Ibiza é mais para o Techno e House, que diferem bastante no som e nos químicos reagentes...
Abraço.

Rocket disse...

vermelho

em ibiza há de tudo consoante as discotecas e os djs...

em relação ao rit,o, é de facto o segredo. aliás já conhecido pela música de combate, nas batalhas.
o rufar do tambor era fundamental no condicionamento do metabolismo do homem em combate.

abraço