quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

O Verdadeiro Amor


De todos os seres humanos que pisaram o planeta desde a invenção da escrita só existe um que define o Verdadeiro Amor como eu o concebo. A senhora da foto de cima.
Para mim o Amor é dar. Dar, e ter o maior prazer nisso, sem esperar nada em troca.
Diz quem ama que é preferível encontrar-se na pele do que dá mais e que mais se entrega, que é, embora sendo o que mais sofre, o que melhor sente e goza a essência do Amor.
Não vou, depois de Camões o ter feito, e de Shakespeare, que contra todas as correntes o celebrou, definir o termo.
Aquilo que é o Amor para os outros, para mim são amores...
Para quem não sabe, a obra de Madre Teresa não era uma obra de caridade cristã, embora fosse sob a cruz que exerciam o seu acto de Amor: nem mais nem menos que dar um fim pleno de puro afecto aos moribundos que juncavam as ruas de Calcutta.
Recolhiam-nos, pela manhã, levavam-nos para a obra, e com carinho, lavavam-nos, como bebés, beijando-os, acariciando todas as suas feridas, algumas em estado já de decomposição em vida... Com o ar mais ternurento sussuravam-lhes ao ouvido meiguices, e sempre com um sorriso de Amor, genuíno. Daqueles que a girl next door adoraria ver na cara do namorado mais vezes.
Ex-modelos de topo, ex-advogados de multinacionais, gente de todo o mundo que abdicou de tudo para Amar desconhecidos em eminente fim de vida... E sempre com um obrigatório sorriso. Felizes por poderem exercer o Verdadeiro Amor...

8 comentários:

Helena disse...

Concordo plenamente com o que aqui foi escrito...

Amor é dar....

Isso é o verdadeiro sentido de Amor...

Amar icndicionalmente...

Gostei do bloegue voltarei de novo...

Rocket disse...

Helena

Conheço alguém que andou perdido no mar durante sete dias. Os dias seguintes a seguir ao resgate passou-os com um sorriso de felicidade no rosto, como é natural. Sorria tanto que lhe passou a doer toda a musculatura do rosto....
...Não podemos estar sempre a sorrir...Por isso escrevo de quando em vez sobre coisas sérias...
Ainda bem que gostaste. Volta sempre.

Mlee disse...

Amor genuíno daquele não espera nada em troca. Gostava muito de ler a biografia desta mulher. Um beijinho e bom fim de semana.

Maria Manuela (M&M) disse...

Teresa de Calcutta era de facto uma mulher notável.

Quando se percorre o mundo daquela forma e no fim de tudo se deixa obra que tende a ser continuada, notável é a expressão que me ocorre.

Rocket disse...

É... arrepio-me quando referem como notáveis mediocres mediáticos...

Rocket disse...

mlle

Eu vi um docuntário, que me tocou, como é óbvio, anos trás, ela ainda era viva. As imagens são impressionantes. São pessoas que o deizaram de ser, de aspecto, havia muito. autênticos trapos humanos a serem tratados como reis nas suas últimas horas de agonia.. por gente lindíssima vinda de todo o mundo que abdicou de tudo para aquilo...

Anónimo disse...

Ana disse:
Muitos serao chamados mas poucos os escolhidos e bem aventurados os que acreditam porque so eles entram no reino do céu!

Rocket disse...

Ana

Eu nem sequer sou crente! E segundo notícias que vieram a lume recentemente, Madre Teresa, ela própria, em fim de vida. teria inúmeras dúvidas em relação à sua crença. O que relevo aqui é a sua capacidade de Amar...

bjs