sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Homens Dois-Em-Um

Um dia falava com um amigo de longa data, numa festa privada em lugar público onde se encontravam inúmeras desconhecidas. Como de costume observávamos tudo o que mexia ao nosso redor. Quase toda a mulher, mesmo acompanhada, parecia procurar algo. Várias vezes nos sentimos observados de forma gulosa.
Lá estão elas à procura do príncipe encantado… comentei eu. O meu amigo calou-se e obrigou-me, com o seu silêncio, a encontrar os seus olhos metálicos.
- Rocket, meu caro projéctil, pode ser isso que elas procuram, mas para uma grande parte, o que encontram é bem diferente… E desviou de novo os olhos… desta vez para bem longe dali.

Olhava talvez para o seu passado de homem casado e de pai que tão bem desempenhou durante 11 anos, deixando até crescer, na altura, uma respeitável barriguinha.
Como ele se encontrava diferente, agora.
Deveria a sua mente a navegar naquele momento na realidade que procedeu o seu divórcio, aos trinta e picos. O desgaste da separação e uma vontade de renascer mergulharam-no num manto de novos hábitos. Começou a muscular-se e a correr com raiva e perdeu a barriguinha, a respeitabilidade, a carreira e dez anos de aspecto pesado. Rejuvenescera. Tornara-se rijo. E desejável. Desde essa altura até agora era o homem que eu conheço com o melhor caixote de lixo de Lisboa… Mas não era nada de que ele se orgulhasse, já há muito.

Sei o que ele quer: ter uma vida… normal.
- Rocket, já não tenho coronha no revólver para marcas, cada vez que nele pego, arranha-me as mãos e o coice do disparo fá-las sangrar…
Por tudo isso ouço-o com atenção quando se trata de mulheres.
- Caro amigo – dizia-me – não falemos de ti ou de mim ou dos nossos casos, abordemos a generalidade: elas procuram o Príncipe Encantado, ou o Homem Da Sua Vida, ou o Mr. Right, ou o Tal, ou a Alma Gémea, ou o que lhe queiram chamar, mas na verdade, em muitos, muitos casos, na vida de uma mulher acontecem quase sempre sempre dois homens por relação, e não um… - Abri os olhos, encolhi os ombros de espanto e ele continuou…- Pois é. Um binómio, que nem sempre coexiste no mesmo hiato temporal mas que na sua mente feminina estará sempre presente: Um, selvagem, duro, é o que lhes fará os filhos, aquele por quem ela treme, se derrete, se molha, se desassossega, se martiriza, o inimigo ao qual se rende, e o outro, manso, domesticado, será o que lhes dará o nome e a segurança para ela os criar. Esse tornar-se-á no seu melhor e mais fiel amigo, a sua almofadinha, o seu ombro, o seu encosto e na maior parte das vezes a sua segurança. É esse o desgraçado que ficará sempre com elas, até ao fim, seja quando ele acontecer, porque tudo tem um…

Lembrei-me de Cleonice, casada com o mais abastado cidadão de Potideia, uma bela amante de Alcibíades de quem no ventre trazia um filho, que quando inquirida sobre o facto respondeu: Ninguém imagina o que é transportar em si o fruto da semente dum homem assim…- E, continuou o meu amigo. As mais infelizes são as que insistem no Dois-Em-Um quando não é o caso. E isto porque elas são educadas para procurar afanosamente essa quimera. E nem todos o são… Aliás, tratam-se de excepções, e cada vez mais, não só pela sua natureza mas pela própria metamorfose da mulher no que ela hoje é…

E deu um pequeno gole na tónica, ele que não bebe álcool há muito.
Assim, e como se recusa a envelhecer, para mais com aquele aspecto felino, será que este meu querido amigo não passará nunca da sementeira?

7 comentários:

Maria Manuela (M&M) disse...

Diz lá ao teu amigo que o binómio de que ele fala existe grosso modo na maioria dos homens sendo que a questão não reside tanto no facto de nem sempre coexistirem no mesmo hiato temporal mas no simples facto de, das duas facetas que ele tão bem referiu, como sendo apeciadas pelas Sras, los hombres deixarem cair uma, assim como quem ganha uma barriguinha proeminente, senta no sofá e calça o chinelo....

beijos

Rocket disse...

Quantas moedas viste de pé, a ostentar as duas faces, rocket? Foi o que me respondeu.
Já lhe tinha feito essa observação... e outras... de qualquer modo lerá o que escreveste...

beijos

Maria Manuela (M&M) disse...

A ostentação das duas faces não tem de ser simultânea mas deve ser recorrente... e explica lá ao teu amigo que esta coisa das mulheres independentes não é tanto assim... A maioria gosta de se sentir valorizada pelo parceiro (que é bem diferente do querer ser independente) mas gosta também que tomem contem dela...

No fundo o mulherio anda é assustado e a canalha baralhada... lol
beijos

Rocket disse...

Concordo, tudo anda assustado/baralhado, e não é só o mulherio...
Na verdade, ainda estamos como bebés a aprender a lidar com coisas que foram despoletadas há poucos anos. Muita gente não conhecia a palavra clitóris antes do Garganta Funda e certas práticas sexuais agora normais eram banidérrimas duma vida considerada saudável. Há 30 anos, em termos íntimos, um homem conheceria umas dez mulheres durante a vida, muitas delas a pagar, e uma mulher, com a sorte de não ser apanhada, dois ou três homens e a maior parte... só um.
Empregos e casamentos eram para a vida, como te diria a tua avó B, e as pessoas nasciam já com livro de instruções.
Agora, cada indivíduo é uma soma de experiências, cicatrizes e até traumas. Tem que se lidar com o próximo com cuidado e carinho, ter um mapa das nódoas negras da alma do outro para não as pisar...
Enfim, a coisa complicou-se, e não só no campo afectivo.
Haverá outros tópicos...Mas neste não me recordo de escrever sobre mulheres independentes... mulher independente...
Deve ser esse o problema do meu amigo: são as para ele mais interessantes.

bjs

Rocket disse...

E qual é o parceiro que não gosta de tomar conta de, valorizando? pensei que era banal... eh eh

Maria Manuela (M&M) disse...

Já percebi que o teu amigo gosta de apanhar porradinha.... lol

"E qual é o parceiro que não gosta de tomar conta de, valorizando?"

Se a parceira for a Gina,cabeleireira ali para os lados das portas de Benfica, que veste o seu fato de treino pink para dar umas curvas no colombo, acredito que seja banal...

De resto são poucos os que aguentam ser referenciados como o namorado ou o parceiro da Sra. X...

Digo eu...
Bjos

Rocket disse...

Não sei onde foste buscar essa ideia. Ele nem prendas gosta de apanhar, quanto mais porradinha...
Conheço muitos que se orgulham das suas mulheres/namoradas e que não se importam de levar a coisa à antiga.. Isto ainda não está entregue completamente aos bichos. Tá quase mas ainda falta uma unha...