quarta-feira, 16 de abril de 2008

Buraka

Existe uma corrente no âmbito da Psicologia que defende que o desejo sexual no masculino, a vontade de penetrar, é um querer subliminar de voltar às origens: o útero materno... Diz-se que o ritmo sexual de cada homem tem a ver com o seu próprio ritmo cardíaco (nos atletas mais baixo que o habitual)... uma looonga corrida de fundo para quem tem estaleka...e Estaleka têm ESTES. Considero o melhor requinte o que nasce do nada, em oposição ao dos berços dourados, que se tende a perder em pullovers, pantufas e... sapatos que parecem pantufas... O que aqui está,
em nada se perde ...

10 comentários:

Em Bicos de Pés disse...

E essa tua associação de ideias vem da palavra Buraka, imagino...

Rocket disse...

ebp

Não há nada como um receptor eficaz, no processo de comunicação. Talvez ao mesmo nível encontremos um bom emissor... :-)


bjos

Carla disse...

os sons, os ritmos...e memórias da minha terra...que mais se pode querer de um post que apela ao que é genuíno
beijos cdom sabor a África

Rocket disse...

carla

É contagiaaaaaaante, e é bom! Made in Portugal!

beijinhos tropicais

gata disse...

Por acaso acho piada a estes fulanos... não gosto de música africana (kuduro, kizomba, etc...) mas esta mistura não está nada mal. E estes fulanos são mais uns que começaram por ser (re)conhecidos primeiro lá fora e depois cá dentro...

Rocket disse...

gata

E o que é importante é que são BONS!

beijos miaus

Afrika disse...

Hoje estava a arranjar-me de manha e liguei a MTV como habitual sempre k estou cá... esta musica começou a tocar estava eu na casa de banho. Não consegui resistir ao ritmo e la se foi o que estava a fazer e comecei a dançar, saltar em suma, a mexer-me... corri a ver quem eram pois ouvi palavras em Pt, surpresa!. Mais uma vez estes indivíduos deixam-me assim !!!
Só tenho uma palavra pra eles Fantásticos

Rocket disse...

afrika


então e para mim? :-)

Magucha disse...

Kuduro não, por favor! Detesto o som da batida de fundo... Faz-me ter vontade de atirar o tijolo que está a tocar para o chão e parti-lo em mil pedaços!

Mas acho fascinante a forma deles dançarem. Lembro-me de ter visto o Hélder, rei do kuduro na televisão
(obviamente sem som) fascinada com um dos bailarinos que parecia feito de borracha! Era um tipo alto, magrinho, que se movia como se os ossos fossem flexíveis em vez de rígidos. Simplesmente espectacular!

Rocket disse...

maguinha

também não morro de amores pelo género...mas que isto tem qualidade...tem.


bjinhos maguinhos