sábado, 11 de outubro de 2008

sul

Acordo para mais uma sexta-feira. As cortinas do quarto cumprem: ao esbater a claridade, falam dum dia menos luminoso que o que encontro mal as afasto... mentem, porque quero. Ainda meio a dormir, visto uns calções, calço uns nike e vou por aí a desenrolar os phones schnneizer que irão bombar Daft Punk na minha corrente sanguínea e dar o ritmo à minha corrida em Talatona, um futuro Tagus Park daqui, só que umas vinte vezes maior...
Chego a casa trinta encharcados minutos depois e faço quarenta flexões no meu quarto. Lembro-me do Covey: ''Se não conseguires fazer as tuas cinquenta flexões não conseguirás que a tua equipa faça as suas vinte''. No problem, Covey, faço as que quiseres e a minha equipa segue-me até ao inferno, a encher, com um sorriso nos lábios.
E é esse o desempenho da mesma durante mais um dia de trabalho.
Um deles, no princípio, perguntou-me se seria possível irem a Lisboa ter um período de formação, o que no caso dele queria dizer... ver gajas. Respondi-lhe, metálico, que comigo iria ter a melhor formação, com um nível que nunca encontraria em Lisboa. Agora eles próprios recordam a conversa, gratos. Deixa estar, Gajas, há-as por cá. Mas eu não lhes ligo nenhuma, por enquanto. A minha missão é prioritária. Sinto-me como um monje guerreiro. E ficou lá alguém que me espera. Eu continuo também eu à espera, embora me veja por aqui durante muito tempo.

Estou farto de ser europeu.
Uma condição que ganhou um novo significado, para mim.
Um ser urbano, decerto. Culto, sem dúvida. Mas alguém a quem retiraram a natureza. A única que lhe resta é a sua, na qual chafurda. Um ser sem árvores, planícies, bandos de patos selvagens. Resta-lhe apenas o prado seco da sua alma. O meu weblog é disso exemplo...
teria Hegel vivido dias tão intensos como estes meus de agora?

Só a viagem de mota até à Casa me secou a transpiração que mapeava a camisa. Nem o banho, nem o ar condicionado conseguiram travar o suor que a minha corrida me soltou dos poros.
Todos chegam de jipe. Eu chego todos os dias ao trabalho de peito aberto e cabelos colados. Pelo vento.

Sou o último a sair, a uma sexta-feira...Muito trabalho, pois. Sou interrompido, no fim do dia, por dois gajos que entram por ali, no andar de baixo, um deles é o guarda, de kalash carcomida a tiracolo. O outro vem lá procurar trabalho e sente-se aborrecido por ninguém estar lá para o receber ou algo do género, a exibir mau feitio. Com um sorriso amarelo continuo o meu trabalho, até ser interrompido de novo. Desço, sem sorriso algum, com ar de levar gajos e kalashnikovs, tudo à frente. ''Era só para dizer que o assunto está resolvido, chefe. Tudo fixe...''.
Saio. Às seis da tarde em Luanda é Noite. E já passaram duas horas. Está um calor magnífico, esbatido pelo vento que me molha a cara durante a viagem de mota até casa, onde chego, e saio, sessenta minutos depois. Ainda tenho tempo para manter uma conversa com uma amiga especial e dar-me conta no reader pelos títulos dos blogs que longe, muito, muito longe existem gripes e outonos e crises e o raio que parta isso tudo... Caramba, um gajo para se deprimir tem de ir à Europa...aqui é impossível!

Chego à Ilha dos contrastes, a Ilha de Luanda. Topos-de-gama passam numa estrada esburacada, separada por blocos de betão cravados pelo vértice inferior e assim assentes, oferecendo os outros cinco aos pneus que os rasam... Uma voz feminina dentro do carro fala dos professores de ginástica soviéticos enquanto um jipe Lincoln Navigator gigantesco esmaga a estrada que ficou para trás. Putos saem disparados de cruzamentos com as scooters em cavalinho. Estaciona-se o carro num local impensável em Lisboa, onde cabem menos. Aqui o pessoal adapta-se a tudo, e os carros ajeitam-se aos espaços diminutos.
Está muito calor. Mas bom.
O longo estrado de madeira do Chillout, assente na idílica praia, funciona como um espectáculo ao contrário: encontramo-nos no palco e a acção encontra-se à frente, no Oceano repleto de navios em fila interminável. Nunca se viu nada assim. Ficam ali dois meses, cada um, à espera da sua vez de entrar no porto. Um outro está na calha para ser construído, e aquela fila será uma longínqua lembrança. Mais uns quatro anos e Angola fará o mesmo que todos os países anteriormente roubados pelo ocidente estão agora a fazer: a comprá-lo aos pedaços...
São países como este que, mal ou bem, representam o futuro do planeta, agora falido pela lógica da gravata que dos pescoços passou para a economia... A verdade vem sempre ao de cima, e este dinheiro que andava por aí era mentira.

A minha amiga vai descrevendo as características das angolanas que estiveram na europa e as que são de cá, em maneira de exposição de manual de engate a quem chega. Eu sorrio, ele é muito mais bonita que qualquer uma delas, mas proibida. Todas o são, para mim. Não quero saber. Estou cá para trabalhar, gajas nunca me faltaram, nem em Lisboa nem em lado nenhum. Neste momento seria um problema a mais, em troca de momentos de prazer.
Tenho a sorte de poder escolher os meus problemas, vou continuar a gozá-la. É uma sorte impagável e magnífica, esta que vem no pack de renascimento, não vos passa pela cabeça...

Os gajos são uma tristeza. Escolhidos a dedo pelo seu aspecto medíocre de gringos barrigudos de rua de Bangcok.
Mas encontram-se pessoas elegantes. Angolanas sobretudo. É uma vergonha para os estrangeiros presentes, a sua elegância.
E a música é excelente... very becoming com todo o resto. O calor, os sorrisos, o ar livre... Angola é um país ao ar livre. Cheio de espaços convidativos a uma viagem.
Danço. Muito mesmo. Já não me lembrava de dançar assim. Ao observar quem comigo dança recordo-me dum pormenor: será que todos se apercebem que pela forma de dançar se vê como se fornica? Contenho-me um pouco, a sorrir... Vou desvendando segredos, ano após ano, desta poça que chamamos vida.
Todos bebem, menos eu, que mantenho a minha frescura e lucidez. Vou saboreando o calor, a beleza das mulheres, de bela cabeleira gigante que se esfuma em penugem escura, que dançam em contraluz. Olho para o céu estrelado e vejo constelações desconhecidas. Estarei noutro planeta?

59 comentários:

pinguim disse...

A isto chamo eu "felicidade"...
Abraço caloroso.

O Pinoka disse...

Daquilo que descreves, está mais que visto que gozas todos os bocadinhos.Mas posso dar-te uma ideia?
Experimenta beber mantendo a frescura e esquecendo a lucidez.
Depois diz qualquer coisa.

Um abraço da Europa deprimida.

Rocket disse...

pinguim

abração

Rocket disse...

o pinoka

não bebo alcool, meu caro... : )

abração

lilipat2008 disse...

Que bela descrição...dá quase a sensação de lá estarmos a dançar contigo...:)

E essa sensação de liberdade deve ser uma coisa única, jamais experimentado por cá...:)

bjitos

Maria Manuela disse...

Claro que estás noutro planeta, mas estás feliz e isso é que importa.

beijos, meu anjo

Maldonado disse...

É uma interessante descrição da actual realidade de Luanda. :D
Acredito que existam tremendos contrastes sociais aí, devido ao presente boom económico.
Espero que te habitues a eles. ;)


PS: Quando puderes, passa pelo meu tasco sff, pois tenho um desafio para ti. ;)

Anónimo disse...

E nestes momentos de lucidez que me sinto muito orgulhosa de ti, em grande recuperaçao para voltar à selva na segunda-feira, muitos e grandes beijinhos da
Ana

xunana disse...

Ai as saudades que tenho de ti....

Beijão

Zabour disse...

"será que todos se apercebem que pela forma de dançar se vê como se fornica?"
Bolas, vou ter mais cuidado da próxima vez que for para o bailarico. Vou ficar a pensar que todos sabem disso...Bolas, só me dás preocupações. ;o)

Beijinhos

AP disse...

Estás noutro planeta, estás! Principalmente se vives em Luanda Sul, como parece ser o teu caso.
E vai devagar que terás muito tempo para te deprimir... Já viste mais da cidade além da Ilha e de Talatona?
Abraço!

D.Antónia Ferreirinha disse...

Estás noutro planeta pois.
E só por isso acrescento: alô, terra chama? Não vou. Aqui estou bem e recomendo-me. Ahahah.
Ainda bem que aproveitaste o som, o ritmo, mas... mas....se dançaste bué da bem...
Estás lixado. As angolanas perceberam tudinho o que a dança pode transmitir em termos de fornicação. Ahahah.
Beijo amigo e continua a fazer-me o especial favor de seres feliz.

Gi disse...

Estás a adorar cada momento!
Estás a dar-me saudades.

Gata Verde disse...

Boa estada por aí...

bjs

Rocket disse...

lilipat2008

existe de facto uma sensação de liberdade impossível de ter por aí... mas não existe a ordem das coisas que conheces.
anda-se de mota sem capacete, e é muito agradável, mas também é necessário um cuidado brutal com o trânsito. os gajos bebem e não são controlados, andam em zigue zague e contra a mão...enfim...

beijos

Rocket disse...

MM

a rampa de aterragem está pronta para ti, rainha.

beijo enorme

Rocket disse...

maldonado

habituei-me depressa, estive já em áfrica anteriormente. é um interessante exercício de análise que irias gostar de ter.

passarei decerto

um abraço

Violeta disse...

Vejo que a felicidade te bateu à porta!

Rocket disse...

ANA

grande beijo e melhoras

Rocket disse...

xunaninha

eu eu de ti...abraço grande, grande

Rocket disse...

zabour

até pela forma de comer se vê...pronto, mais uma preocupação, lol

nã ligues ahahahahha

beijinhos

Rocket disse...

ap

vou conhecendo a cidade aos poucos mas tenho ido mais para baixo, para as praias, sangano e cabuledo...haverá tempo para tudo menos para depressões, as da europa são imbatíveis. problemas existem sempre e é coisa que nada no meu mar, mas não são factor de depressão... e a tristeza faz parte, não é disso que falo, refiro o tom ciinzento que adquire qualquer conversa que tenho com alguém daí, em qualquer circunstância, aqui as coisas são mais espontâneas, como sabes.

abraço

Rocket disse...

toyinha

ahahahaha...o pessoal só lê a parte da malandragem ahahaha...olha, a tua terra espera por ti, como sabes...

bué da beijos

Rocket disse...

gi

ainda irás ter mais, isso vai ficar bera...

beiGinhos

Rocket disse...

gata verda

está a ser...

Rocket disse...

violeta

muito trabalho me espera, e estou a ter, mas, como afirmas, com boa onda.

beijinhos

Tá-se bem! disse...

Olha amuei :( pronto! Tás a ver a Europa torna-nos assim... limitados :|??

Eu também quero!! >:( (dispenso a parte das corridas e flexões tá?) hihihihi :p

abração :)

Gabrielle disse...

Adorei ler-te!
Texto magnífico, excelente descrição e capacidade de análise ímpar.
Fico feliz em perceber que consegues tirar o melhor partido de uma situação á partida adversa. Que o entusiasmo nunca se acabe... nem p'ro trabalho nem p'ra dança, que é como quem diz... reserva a tua "sorte" de escolher os problemas até porque com post's destes não tarda está aí Lisboa em peso de visita!!!

beijoooooooo

Rocket disse...

tá-se bem!

não amues, quando vieres traz também os meus gatinhos...

abração

Rocket disse...

gabrielle

faço meus os teus votos. sem entusiasmo estou a zeros, o entusiasmo é o combustível de quem quer fazer coisas.
lisboa toda náo cabe aqui mas se vieres és benvinda : )

beijos

AP disse...

Esse é que é o espírito!
E não, a Europa não é cinzenta, os portugueses sim são cinzentos... O que nos vale é que aqui descolamos dessa onda!
Abraço!

Rocket disse...

ap

são cinzentos quando estão lá...quando saem libertam-se... acho que aquilo é um lugar claustrofóbico...


abração

Borboleta disse...

Ai que leve que leve e verdesco está o teu blog!

Gostei do novo look!

Gostei mais ainda quando li este "primeiro" post...estás feliz, tranquilo, está pleno contigo e com o que te rodeia!

Isso é muito bom e a cima de tudo é o que "deveriamos" todos encontrar, essa plenitude, essa concretização pessoal!

Parabéns por te sentires assim e continua! ;o)

Agora se me permites vou bisbilhotar os outros posts...lolol

Rocket disse...

borbleta

nem parece o post de alguém que está aqui a resolver problemas gigantes, ehehe. mas é verdade.
o que interessa é o espírito, e aqui, o mesmo é magnífico.

beijinhos grandes

Carla disse...

li...ou melhor deixei-me voar com as tuas palavras...
posso ter um bocadinho (só mesmo um bocadinho) de inveja tua?
beijos
bom resto de domingo

Pearl disse...

Viajei até aí, descreves a beleza da terra do clima e das mulheres!
Enfim...estás feliz e completamente enfeitiçado pelo o país...que bom!!

Adorei ler!

Beijo dançado

Sun Iou Miou disse...

Estou a sentir-me feliz de ter chegado cá justamente quando foste embora.

Rocket disse...

carla

podes. eu também tenho.

beijos

Rocket disse...

pearl

enfeitiçado? ui que isso é perigoso...

mas estou a gostar sim..beijos!

Rocket disse...

sun iou miou

ui que náo percebo...cá onde?

beijinhos

Mlee disse...

Respiras e levitas e, ao mesmo tempo, estás focado e determinado.
No fundo ... és tu, com o à vontade que o espaço e a experiência te propiciam e sempre com esses olhinhos atentos aos pormenores.
Para lá da lufada de ar em que é bom ler-te, é na descrição desses detalhes que te vejo, nisso és mesmo muito tu.

E danças ... ui ... tu danças?!?!
:)))

Beijo grande, mano.

vita disse...

Estás, quando vires angolanas nuas ir directas a ti e obrigarem-te a dançar kizomba, foste para o céu..loool

Beijo doce meu

Rocket disse...

vitinha

quando chegar ao céu reservo um lugar para ti...ehehe

doce meu

Rocket disse...

mlee

ok...danço, pois... temos que ir um dia destes dar um pézinho...eheheh

beijos, mana

GATA disse...

E que tal a aventura a SUL? Aqui a NORTE vai-se andando... :-)

Bjinhauuu!!!

DALAPA disse...

Quando publicares o livro eu compro.....

Essa aventura tem tempo limite?

Xi

Parisiense disse...

Outro planeta, outro mundo.....onde a vida é de tal forma preciosa que é vivida a cada minuto, a cada instante......sem pensar muito no amanha....porque esse amanhã para muitos nunca chegou......

Como eu gostabva de estar aí.....
Beijokitas

Tretoso Mor disse...

Rocket,

Tu deixas o pessoal com água na boca!.. lol

Um gandabraço

Rocket disse...

gata

aqui vive-se como eu gosto...na bisga

bjinhauuu

Rocket disse...

dalapa

vai ser até partir...eheheehe

mas trabalha-se e a sério

abração

Rocket disse...

parisiense

e o amanhã daí?... foi por isso que vim...

aqui ao menos constói-se. é uma sensação única a que tenho neste momento de em duas semanas ter nas mãos uma equipa fantástica formada por mim, sem falar numa mega estrutura que vai fazer escola nos states e por aí... tudo o que sei está a materializar-se num projecto duma magnitude que não imaginas...

beijinhos

Rocket disse...

tretoso mor

espero fazê-lo durante muito tempo...

abração

Sorrisos em Alta disse...

Sempre as achei um desperdício de dinheiro, mas, meu amigo, depois de ter ler estou quase tentado a ir comprar uma daquelas viagens espaciais...
;o))

Muito bom!!!!
Gozaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Jorge Pessoa e Silva disse...

Vemo-nos em breve... Breve pode ser um/dois meses, se ainda por aí andares... Gostava de jantar contigo na Baía e de te perguntar se já comeste os melhores caranguejos do mundo...

Abraço

Rocket disse...

sorrisos

a minha pagaram-ma, mas estou agora a amortizá-la...

abração

Rocket disse...

jorge pessoa e silva

com prazer, meu caro. os melhores caranguejos do mundo conheço-os de moçambique, mas já me falaram dos do sul... que vens fazer cá? ehehehe... mais um jornalista para se juntar aos bons?

abração

Jorge Pessoa e Silva disse...

Dentro de menos de um mês já será possível abrir o jogo todo e falar abertamente sobre o que vou fazer, durante uns meses.

Os melhores que alguma vez comi na vida foram os caranguejos do Namibe... Qualquer coisa de me tirar os sentidos... Já a lagosta não achei espacial piada... A única vantagem é ser o mesmo preço de um bife... O que, para quem sabe, quer dizer que o bife é que é mesmo caro... rs... rs...

Quando souber e puder dizer mais pormenores entrarei em contacto contigo... Mas teria piada conhecermo-nos a sete horas de avião deste País que, de facto, está a ficar claustrobófico...

Grande abraço

Rocket disse...

jorge pessoa e silva

os lendários caranguejos do namibe...
estou mesmo curioso quanto à tua visita... já deves ter percebido qual a publicação que estou aqui a lançar. será realmente engraçado encontrar-te aqui. e bom sinal!

um abraço

Su disse...

gostei de ler.t



jocas maradas de danças:)))